Geral

Libertação

passaros

Entregue-se àquilo que te faz sentir

Desapegue do que já foi

Esfregue seu amor na cara do mundo

Não titubeie um segundo

Porque o tempo não demora

Quando vai ver, foi.

Não importa se é pouco

Minutos, momentos, horas…

Um beijo, que seja,

Na hora de ir embora

Um aceno é adeus

Um olá, um oi.

 

Mergulhe nos gostos

Que o fazem crer que é feliz

No sabor fugaz que ilude

No gosto do fundo da língua

Uma palavra que escapa

Ilumina

Uma saudade mostrada

O doce da cajuína

Um encontro ao não acaso

Que fecha questão, determina.

 

Jogue seu corpo ao sol

Ou a chuva, se chovendo…

Saia dos seus esconderijos

Ouse, sinta, surte

Destampe a panela

Respire, suspire

Inspire.

 

Só não me queira perto

Porque eu já fui.

A janela aberta não me apetece

Não sou testemunha,

nem voyeur

Nem faço prece

Assitir vôo alçado

Não me apetece

O ponteiro também anda pra mim

E me enlouquece

Minhas asas me coçam as costas

Me apressam pro não vivido

Também quero o mundo colorido

Todas as cores

todos os sons.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s